Funcionamento

Horários

Todo o ano das 7h às 19h 30m (berçário 19h), sem taxas de prolongamento.

Plano Comunicação

Manter as famílias informadas do dia-a-dia dos seus filhos através do EDUCABIZ

Regulamento

Conheça integralmente o regulamento MegaKids na sua 1ª Edição 2019/2020 através do nosso website

Projeto Educativo

Este ano o projecto curricular do externato assenta num tema comum a todas as valências: "SER CRIANÇA".

Método Pedagógico

A nossa metodologia pedagógica está assente, essencialmente, no modelo High/Scope.

Outros Projetos

O Externato MegaKids irá também desenvolver projetos de protecção ambiental e de solidariedade social.

Horário de funcionamento

A nossa plataforma

Educabiz

Plano de Comunicação

COMUNICAR

Um dos objectivos do projecto é manter as famílias informadas de como é o dia-a-dia dos seus filhos.

Para tal, o Mega Kids aderiu ao EDUCABIZ, que é uma plataforma de comunicação e interação para toda a nossa comunidade escolar (pais, educadoras, direção), que permite comunicar e partilhar dados, de forma organizada e completamente segura.

Aí podemos trocar mensagens coletivas ou privadas, enviar pedidos de autorização, marcar eventos na agenda escolar, partilhar imagens, fotografia e vídeo (se autorizar) com total segurança e no momento certo, as educadoras podem dar informações em exclusivo aos pais dos alunos (avaliações, relatórios diários das rotinas, etc.), disponibilizar informação útil (ementas, projectos), com o nível de privacidade desejado, e muito mais.

Os pais podem deixar os seus recados, de manhã, por escrito na caixinha de correio da sala correspondente. Se pretenderem contactar telefonicamente as responsáveis de sala do seu educando, podem fazê-o na hora do almoço, conforme foi estipulado para cada sala.

Tentamos, ao longo do ano, através de diversas iniciativas, trazer os pais à escola, incentivando-os a participar em actividades do próprio colégio. Acima de tudo, temos consciência que a creche e o jardim de infância são, muitas vezes, a segunda casa da criança, e daí a importância de haver uma boa articulação entre a família e a escola.

Através de reuniões regulares ao longo do ano, entre a escola e a família, auscultamos a opinião dos pais sobre a qualidade dos nossos serviços e damo-lhes conta do programa pedagógico posto em prática e do grau de desenvolvimento das crianças.

Todas as educadoras têm um horário de atendimento de pais predefinido, que requer marcação prévia e confirmação. A coordenadora e a direcção estão sempre receptivos à comunidade e às famílias, podendo ser agendadas reuniões, caso se justifique.

 

No final do ano lectivo é realizado um inquérito anual para avaliação da satisfação dos pais, cujos resultados e planos de melhoria são divulgados na instituição.

Projecto Educativo

SER CRIANÇA

O externato funciona com projectos educativos para a creche, para o jardim de infância e para o ATL. Este ano, o projecto curricular do externato assenta num grande tema, comum a todas as valências “SER CRIANÇA”.

Este grande tema é comum e é desdobrado a todos os projectos curriculares de sala, que cada Educadora desenvolve conforme a faixa etária e as características do grupo pelo qual é responsável.

Queremos proporcionar às crianças um ambiente harmonioso, saudável e seguro, onde cada criança cresça e viva em plena harmonia, apelando sempre às suas maiores necessidades, nunca esquecendo as suas necessidades próprias, seus direitos e deveres. 

Ao longo do ano, irão ser desenvolvidas várias experiências interactivas e actividades de caracter lúdico-pedagógico, para transmitir às crianças elementos fundamentais para a harmonia do seu corpo e do seu espírito, quer através da alimentação, da música, do movimento, das cores, da fantasia... quer ainda através da amizade, do respeito por si, pelo próximo e pelo ambiente, ensinando-a a escutar, exteriorizar, compreender, respeitar os sinais do mundo, participar activamente, estimulando o seu sentido crítico, a sua auto-estima e o sentido de cidadania.

Aos pais também serão proporcionados momentos de participação.

O projecto, na sua íntegra, pode ser consultado no gabinete técnico da instituição.

DIREITOS INTERNACIONAIS DA CRIANÇA

Uma vez que se celebra o ano internacional dos direitos da criança, o Mega Kids pretende desenvolver actividades que propiciem às crianças e às famílias o conhecimento dos Direitos Internacionais da Criança, através de vivências enriquecedoras e prazedoras.

Ano Internacional dos Direitos da Criança

Conheça os direitos das crianças tais como estão proclamados na Resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas .

Direitos da Criança
  • 00Dias
  • 00Horas
  • 00Minutos
  • 00Segundos

Método Pedagógico

METODOLOGIA DIFERENCIADA

Atendendo à especificidade de cada criança e às necessidades e às vivências culturais, sociais e emocionais do grupo, a metodologia de ensino deverá ser diferenciada, sendo adequada pela educadora responsável do grupo.

As crianças aprendem melhor num ambiente estimulante mas organizado, no qual podem fazer escolhas e agir sobre elas

HOHMAN, BANET Weikart,

A Criança em Acção

  • A Criança sabe
  • A Educadora
  • As actividades

O que a criança sabe assume importância vital para o seu posterior desenvolvimento. Antes de “desenvolver” há que “envolver” ou seja, há que integrar a criança no seu meio. Só conhecendo o seu envolvimento se pode desenvolver verdadeiramente, construindo-se desta forma a verdadeira autonomia. Neste sentido toda a acção educativa deverá partir do que as crianças já sabem, da sua cultura e saberes próprios como base para novas aprendizagens e proporcionar experiências diversificadas de modo a que cada criança possa construir o seu próprio desenvolvimento e contribuir para o desenvolvimento e aprendizagem de todos.

A educadora tem um papel de dinamizador de aprendizagens, centrando-se na acção e nos interesses das crianças/grupo, bem como na conquista da sua autonomia.

As actividades executadas visam alcançar objectivos de desenvolvimento, de acordo com o grupo etário. As educadoras permitem e incentivam as crianças a aproveitar as oportunidades de vivenciar cada etapa do seu desenvolvimento. Cada criança tem as suas próprias características, a sua própria fase de desenvolvimento e a sua maneira de ser, sentir e de se comportar.

Muitas das actividades propostas levam a criança a explorar a sua própria criatividade, principalmente nas expressões plásticas que estimulam a forma de comunicar e de se exprimir. É dado espaço físico e emocional para promover a espontaneidade e a imaginação da criança. A psicomotricidade e a expressão musical fazem parte do currículo de educação. Poderá haver outras actividades extracurriculares, desenvolvidas por outros técnicos especializados e externos à instituição, com inscrição/participação facultativa pelos alunos, em horários que não colidam com as rotinas de trabalho em sala.

As actividades da sala são propostas de uma forma motivadora, utilizando-se o jogo como estratégia para a execução de diferentes tipos de trabalho.

MODELO HIGH/SCOPE

Tendo em conta as orientações curriculares do pessoal docente, os recursos existentes e a experiência acumulada, a nossa metodologia tem assente, essencialmente, no modelo High/Scope.

Ancorado nas teorias de Jean Piaget acerca do desenvolvimento infantil, este modelo considera a criança como aprendiz activo, que aprende melhor a partir das actividades que ele mesmo planeia, desenvolve e sobre as quais reflecte.

  • Aprendizagem pela acção

    Fomentando e valorizando as iniciativas da criança, porque acreditamos que elas só conseguem retirar algum significado para si e reflectir sobre as aprendizagens feitas se vivenciarem directamente, no seu dia-a-dia, os acontecimentos e as experiências relacionadas com o conhecimento que se pretende fazer adquirir.

  • Interacção positiva entre adultos e crianças

    Para isso, a interacção positiva entre os adultos e as crianças é essencial. Os adultos deverão apoiar as conversas e brincadeiras das crianças, deverão ouvi-las com atenção e fazer os seus comentários e observações, de forma construtiva e positiva (repetir correctamente sem corrigir), para que a criança se sinta confiante e com liberdade para manifestar os seus pensamentos e sentimentos.

  • Liberdade na escolha

    A educadora organiza o espaço de brincadeira, procurando materiais adequados à faixa etária das crianças e flexíveis, que permitam várias utilizações diferentes, fomentando o espírito criativo das crianças. O espaço é dividido em diferentes áreas de interesse (área da leitura, área das construções, área da garagem, área das actividades artísticas/plásticas, área da dramatização, etc.), que são bem dimensionados, acessíveis e localizados de acordo com a sua finalidade (mais ou menos perto de fontes de luz, silêncio, água, etc.). Cada criança pode escolher a área que quer explorar, devendo respeitar algumas regras de democracia e negociação, para resolver eventuais conflitos de interesse com outras crianças. Os materiais estão todos acessíveis e devem ser arrumados, por ela própria, quando terminar o seu uso.

  • Rotinas/actividades diárias

    A educadora faz uma planificação semanal dos recursos e dos materiais que necessita para a prossecução das rotinas/actividades diárias que quer desenvolver, tendo em conta os objectivos específicos para cada grupo e os interesses manifestados pelas crianças. Fica sempre a salvaguarda das actividades poderem não se realizar conforme planeado, dado que as crianças têm a oportunidade de realizar escolhas e tomar as suas próprias decisões. Depois de porem em prática aquilo que planearam, as crianças são incentivadas a rever as suas experiências e a mostrar aquilo que aprenderam, quer de forma oral quer através de um desenho (processo planear – fazer – rever). Os trabalhos podem ser realizados num plano individual, como em pares ou pequenos grupos, dentro da sala, agregados por um critério que melhor satisfaça os objectivos da actividade e promova a entreajuda, ou ainda em grandes grupos, optando-se por actividades colectivas de música ou de movimento ou jogo cooperativo, que promove a coesão de grupo.

  • Avaliação

    A avaliação é composta por um conjunto de tarefas, que passam pelo registo diário de notas ilustrativas da educadora, com base naquilo que observa de cada criança; há uma auto-avaliação da criança do trabalho que realizou (devendo o educador registar as suas mensagens); a avaliação de grupo também é muito importante, para que as crianças aprendem a lidar com a crítica e possam elas próprias avaliar o seu trabalho pelos dos outros. As paredes são utilizadas como expositores das produções das crianças, onde se revêem nas suas obras de desenho, pintura, colagem ou texto. Frequentemente, também são expostos os trabalhos numa parede fora da sala, no local de passagem, para que os pais também possam apreciar o trabalho dos seus filhos. Regularmente são promovidos encontros entre educadores e familiares para falar sobre as aquisições das crianças, mostrar trabalhos realizados e entregar registos de desenvolvimento, traçando, em conjunto novas metas e acordando estratégias de desenvolvimento.

METODOLOGIA DE PROJETO

Este modelo poderá ser cruzado com a Metodologia de Projecto, para o desenvolvimento dos projectos que surgem a partir dos interesses do grupo de crianças.

Em suma, todo o trabalho pedagógico gira à volta das vivências, necessidades e interesse das crianças, promovendo o diálogo, a negociação e a partilha entre os pares e com o adulto.

E todos os elementos da equipa pedagógica desempenham funções, considerando que todos têm um contributo a dar na acção educativa, favorecendo o clima de segurança e de bem-estar fundamental ao desenvolvimento do grupo e de cada criança. Às educadoras cumpre, particularmente, ter em consideração os contributos individuais na organização de todo o processo educativo, que passa por diferentes etapas interligadas, que se vão sucedendo e aprofundando, implicando:

  • Observação

    A observação sistemática e contínua vai permitindo às educadoras ampliar progressivamente o conhecimento das crianças e do grupo, permitindo adequar o processo educativo às suas necessidades, alargar os seus interesses e desenvolver as suas potencialidades. A observação constitui a base do planeamento e da avaliação, servindo de suporte ao processo educativo.

  • Planeamento

    O planeamento implica que se adopte uma atitude de reflexão sobre as intenções educativas e a forma de as adequar ao grupo, prevendo situações e experiências diversificadas de aprendizagem e organizando os recursos necessários à sua execução.

  • Acção

    Decorre do que atrás se disse. A concretização na acção das intenções educativas deve ir de encontro às propostas das crianças e tirar partido de novas oportunidades criadas assim como de alargar o mais possível as interacções.

  • Reflexão/Avaliação

    A avaliação é intrínseca ao processo educativo, permitindo a sua adequação de acordo com a evolução de cada criança e do grupo. A avaliação deverá ter em conta as diversas dimensões da acção educativa, assim como os diversos intervenientes.